nanas-une-maxppp

MOSTRA PARIS NIKI DE SAINT PALLE

Meninas, não sei se vocês já notaram, mas eu sou apaixonada, por arte, cultura,design e tudooo que deixe a viada um pouco mais bonita kkkk, mas além da beleza, tudo tem que ter uma tradução e um significado, o tal do conceito. No ano 2000 comprei uma obra do artista pop carioca, radicado em New York, Ulisses de Andrade, e a tela tinha um tributo a Sonia Delaunay, Dubeffet e Niki, então comecei a me interessar pelo trabalho dos três,e foi assim que conheci as “Nanás” da artista Francesa Niki de Saint Phalle, que por sinal são lindas e tem todo um significado, a representação da mulher, “colorida, gorda, alegre”.

Para quem não sabe,ocorre em Paris até de Fevereiro de 2015 uma mostra do trabalho dessa incrível artista plastica (SE FOREM A PARIS NÃO DEIXEM DE IR, E SE POSSÍVEL ME MANDEM ALGUMAS FOTOS KKK ) ,essa mostra se trata de uma retrospectiva do trabalho da artista e ocorre no Grand Palais.

fontaine

Para quem não conhece,  Niki de Saint Phalle foi uma artista com trabalhos mais pop’s, autodidata, politicamente engajada e militante feminista, uma autora irreverente de uma vasta e original obra. Totalmente Feminista!! pelo que pesquisei, ela sempre tinha um discurso provocador e com muito humor para enfrentar o mundo machista de sua época.

niki-de-saint-phalle-sc3a9ance-de-tir

Acima, algumas telas da sua série “Tiros” (que estão na mostra de Paris), intitulada assim por terem sido feitas de modo inusitado, a artista disparava contra objetos colocados em telas e cobertos por uma camada de gesso que tinha em seu interior sacos de plástico repletos de tinta. O impacto dos projéteis liberava as cores e criava a obra instantaneamente. Uma “carnificina” artística kkkk, se é que isso é possível.

20140916170945-38122.jpg-GEC1RV5R8.1

Niki sofreu de um suto nervoso quando jovem e também foi abusada pelo seu próprio pai aos 11 anos, e talvez todo esse feminismo seja consequência disso tudo, o que é facilmente visível na tradução de suas obras.

14

Por ironia do destino, ela morreu em 2002,  pelo agravamento de uma insuficiência respiratória crônica causada pela inalação do poliéster, material que utilizava em suas obras.

Essa exposição já é um sucesso, foi visitada por mais de um milhas de pessoas, e só lembrando, está no Grand Palais até Fevereiro do ano que vem.

“Decidi desde cedo que seria uma heroína. Quem seria? George Sand? Joana d’Arc? Um Napoleão de saias? Que importa! O importante é que foi difícil, enorme e excitante!”.

                                                                                                                Niki de Saint Phalle